A construtora chinesa Xiaomi tem construído uma sólida reputação junto dos consumidores apesar de ainda não estar presente em loja física, oficialmente, nos nossos mercados português e brasileiro. Contudo, no seu país natal esta marca é cada vez mais procurada e, consequentemente, as suas vendas de smartphones tem aumentado consideravelmente.

Olhando agora “com olhos de ver” para os resultados financeiros da Xiaomi podemos concluir, graças às informações avançadas pela gizmochina e pela digitimes,com base na última avaliação de mercado efetuada pela IDC, empresa líder mundial na área de ” market intelligence”, vemos que a Xiaomi ascendeu agora ao 5º lugar entre as maiores construtoras mundiais.

Qual é o segredo da Xiaomi?

Será a sua comunidade dedicada ao desenvolvimento de novo software e novas ROM’s? Não, apesar de a comunidade MIUI ser extremamente unida e não se poupar a esforços para fazer da Xiaomi uma das maiores construtoras mundiais, o segredo não está aí.

As vendas de equipamentos da Xiaomi aumentaram bastante no último trimestre fiscal segundo os dados da IDC, contrariando o ligeiro abrandamento na procura de smartphones que se fez sentir.

Mais ainda, comparativamente com o 2º trimestre de 2016 a Xiaomi registou um crescimento de 58.9%, números resultantes dos 21.2 milhões de smartphones vendidos no trimestre (abril-junho) de 2017.

Xiaomi
CEO da Xiaomi – Lei Jun

Este é o presente, mas como será o futuro e afinal de contas qual é o segredo desta marca? Segundo a digitimes não há segredos, apenas smartphones. Muitos smartphones. Semelhantes entre si mas com ligeiras variações, cores e nomes diferentes. Em suma, um smartphone da Xiaomi para cada tipo de consumidor. Desde o mais modesto Redmi até ao faustoso Mi Mix.

Smartphones para todos os preços, Smartphones para todos os gostos

É aqui que, segundo também avança a gizmochinareside a força desta marca chinesa, variedade e ampla oferta. Graças a estes dois factores a Xiaomi poderá ver as suas vendas a aumentarem para 25 ou mesmo 30 milhões de smartphones vendidos até ao final do 3º trimestre de 2017, um período compreendido entre julho e setembro.

São novos modelos a ser lançados quase mensalmente, veja-se o seu último lançamento, o  Redmi Note 5A e as suas três variantes, começando a mais barata nos $105 dólares e a mais cara atingindo um modesto valor de $180 para o smartphone com 4GB de memória RAM. Preços competitivos e, mais uma vez, imensa oferta de smartphones.

smartphones Xiaomi Android One Google
A Xiaomi estará a trabalhar com a Google para criar um smartphone com Android One

A marca estará ainda a desenvolver pelo menos um novo smartphone que pode trazer o sistema operativo Android One da Google, segundo avançou na semana passada a krispitech, assunto que naturalmente estamos a acompanhar com atenção.

Note-se que tal ainda não foi foi confirmado por nenhuma das partes mas a Xiaomi poderá, e aqui a palavra-chave é efectivamente esta, poderá estar a trabalhar com a Google no desenvolvimento deste “Xiaomi A1”, nome de código do dispositivo com Android Puro ou Stock Android.

O smartphone contará ainda com um grande ecrã ou tela de 5.5 polegadas com resolução Full-HD 1080p, para além de uma câmara principal dupla, tal como manda a tendência do mundo mobile em 2017.

Xiaomi poderá estar a desenvolver um smartphone com Android One

Terá ainda conectividade Dual-SIM, e aceitará cartões de memória microSD para expansão do armazenamento interno. Contudo, o seu maior trunfo (para além da construção metálica), será o seu preço muito em conta.

Será em tudo muito semelhante ao Xiaomi Mi 5X recentemente anunciado com o processador Snapdragon 625 da Qualcomm e 4GB de memória RAM.

No mês passado lançaram ainda o Xiaomi Mi 5X que utiliza os mesmos sensores fotográficos do seu smartphone topo de gama, o Mi 6 mas que custa bastante menos (cerca de $225 dólares) graças ao processador mais económico.

MIUI 9 Xiaomi 4gnews
O Xiaomi Mi 6 é o seu topo de gama mais recente e a MIUI 9 a nova versão da sua interface gráfica.

Ainda hoje falamos sobre os fortes sinais que indicam a chegada do Xiaomi Mi Note 3, acompanhado pelo tão aguardado topo de gama Mi Mix 2, duas ofertas para o segmento de gama alta, o nicho mais lucrativo para qualquer construtora.

Para 2018 o CEO, Lei Jun, estipulou uma meta de 100 milhões de smartphones Xiaomi a sair dos seus armazéns.

Vimos também a Strategy Analytics a afirmar que a Xaiomi terá vendido 23.2 milhões de smartphones neste trimestre, dados que coincidem com os valores apresentados pela IDC. Perante este notório crescimento o CEO, Lei Jun, terá estipulado uma meta de 100 milhões de smartphones para o ano de 2018.

Por último, também a Gartner veio reforçar estes valores. A Gartner é uma empresa de consultoria, fundada em 1979 e que desde então desenvolve vários estudos de mercado fornecendo a introspecção necessária para que seja claro o rumo e evolução de vários mercados.

Para mais informações sobre este tema, mais dicas e tudo o que é tecnologia falada em português segue o Blog Atualidades News. Acompanha-nos no Facebook e claro, no YouTube onde terás também os novos videos semanais.

E tu, és utilizador da Xiaomi? Se pudesses escolher apenas um adjectivo para descrever esta construtora de smartphones qual seria? Deixa-nos a tua resposta abaixo, nos comentários.

Anúncios